EventosSociedade

A história de amor de Sarah Pacheco

 

IMG_8033Noite de Gala dos 25 anos de carreira arrebata corações  da comunidade portuguesa
Esta poderia ser mais uma qualquer história de amor. Mas não é. Esta é uma história de amor muito peculiar e muito especial. Começou bem cedo e tem tudo para ter um final feliz.

Esta é a história de amor de Sarah Pacheco, a voz doce da comunidade portuguesa de Toronto que soube crescer e amadurecer com os anos. Hoje, não é mais só a voz da comunidade portuguesa. É uma voz universal, quase omnipresente e que viaja além-fronteiras. Uma voz que atingiu a maturidade e que tem tocado fundo nos corações de todos.
No dia 10 de outubro, Sarah Pacheco teve a sua noite de Gala. O motivo era especial – a celebração de 25 anos de carreira.

Sem os convidados a festa não era possível. Mas sem uma orquerstra em palco, a festa não seria a mesma. Felizmente, os dois ingredientes fizeram parte do cardápio musical. Isso, a juntar a um ambiente intimista no salão de festas Ambiance Banquet Hall, em Toronto.

Magistralmente conduzida em palco pelo maestro John Barnum, a orquestra trouxe um toque de requinte à atuação de Sarah que pisou o palco meticulosamente preparado para a ocasião.

Estava dado o mote para um espetáculo arrebatador, com a jovem cantora a hipnotizar o público com um conjunto de canções de Broadway, baladas bonitas. IMG_8099Tudo isso, acompanhado por melodias bem ritmadas.
“Ela adora fazer isso”, resume Richard Maslove, o profissional que tem feito todas as orquestrações da Sarah desde que ela começou a cantar fora da comunidade portuguesa.
Maslove, inclusive, não tem dúvidas que Sarah pode ir ainda mais longe.
“Ela tem projetos. Ela escreve as próprias canções. Acho que esse é o próximo passo na evolução da sua carreira. Ela nunca falou comigo sobre o caminho para a sua carreira, mas alguém que queira ser um artista, especialmente um cantor, tem de escrever o seu próprio material.”
O violinista Grenville Pinto e o tenor Michael Ciufo foram os convidados especiais que deram ainda mais grandeza ao espetáculo.

“Foi uma ideia feliz e houve aqui um casamento perfeito”

Um dos momentos da noite e que mereceu a maior ovação da noite foi quando Sarah Pacheco chamou ao palco Minah Jardim para a acompanhar ao piano naquela que seria a segunda canção em português cantada pela jovem estrela, depois de “Ó gente de minha terra”, um fado original de Mariza, que Sarah disse que tinha de cantar porque faz parte das suas raízes e representa quem ela é.
“A Minah tem feito parte da minha viagem musical de 25 anos”, explicou Sarah, antes de falar sobre a canção, um original que gravou para o seu novo trabalho discográfico “Sarah Pacheco: Stand by me”.
“O que ela escreveu é simplesmente bonito. E achou que era certo eu dedicar esta canção (“Choro do passado”) ao meu pai.”
Um momento cheio de emoção, capaz de levar bem longe todos quantos deambulavam nos pensamentos, absortos pela melodia do piano e a voz “amargada” de Sarah Pacheco, completamente imersa nas memórias do pai querido e tudo o que ele representou na sua vida.
“Fiz isto, porque foi um caso muito especial”, disse Minah Jardim, no final do espetáculo. “Foi uma ideia feliz e houve aqui um casamento perfeito.”
IMG_8069Uma grande estrela internacional

A noite era de agradecimentos vários. A Deus, pelas suas bênçãos, família e amigos que ajudaram Sarah a trilhar um caminho de sucesso. E tantos outros. Mas Milú Pacheco não podia deixar de falar de Evanson Chung, o manager de Sarah.
“Há 15 anos atrás, ele veio até nós e prometeu-nos uma coisa. Fazer dela (Sarah) uma grande cantora. E anos depois disso, ele prometeu algo mais. Que ela iria, um dia, tornar-se numa grande estrela internacional.”
Ele tinha razão. Sarah tem o brilho de uma estrela reluzente, preparada para cintilar em qualquer palco, perante qualquer público. O resto do mundo aguarda para conhecer a sua voz e receber o amor do seu coração. Os portugueses devem ser gratos por ter o seu coração.
“Espero que Deus esteja comigo nesta noite. Que corra tudo bem, porque eu só quero fazer o meu melhor e dar o meu coração ao público.” – disse Sarah, antes do concerto único para a comunidade portuguesa.

Por: Luis Aparicio

 

3,040 total views, 9 views today

Tags
Close
Close