Últimas

Como é o seu filho na escola? Você o conhece?! – Dr.ª Patrícia Salin

Fim de férias, volta a rotina. A escola como segundo meio mais importante da vida de um jovem ser humano, logo após a casa, há de ser bem cuidada. É na escola que todos temos o primeiro grande contacto com o mundo exterior, onde primariamente nossas bases sociais se solidificam, lugar onde o aprender está envolto numa rede delicada que se faz através de diversas maneiras.
A principal função da escola é de facto ensinar disciplinas, mas sabemos que a escola faz muito mais que isso, lá se aprende a conviver em grupo, se aprende deveres, obrigações e direitos, lá se forjam caráters, lá se solidificam bases culturais que nos marcam durante a vida, lá se criam laços e alicerces emocionais, bons ou maus.
É de extrema importância que seja um lugar seguro, que a criança ou adolescente se sinta bem e feliz, para que de facto possa funcionar sua vivência lá dentro. Nenhuma criança é capaz de aprender num ambiente inóspito, onde se sente mal. Nenhuma criança pode estar infeliz num grupo e ainda assim conseguir gerir sua sociabilidade. A relação criança-escola, e quando digo escola não me refiro só a instituição, mas sim a um todo que abrange colegas, profissionais de educação, parte administrativa/direção e funcionários, enfim tudo que circunda esse espaço incluindo a família, no caso os encarregados de educação, há de ser uma relação que se medeie por satisfação, seja nos resultados, seja na frequência.
Quando a criança vai pela primeira vez para escola, muitos pais sentem-se hesitantes em relação a adaptação, com isso passando insegurança aos pequenos, o que é mal para eles que precisam estar confiantes e bem preparados. Sinceramente, acredito que sempre devemos ter total consciência de como funciona essa adaptação para podermos deixar esse medo de lado e não contaminar as crianças com ele, por isso estar atento e conhecer bem todo esse processo e quem vai estar encarregado de seus filhos, é essencial para acalmar qualquer coração e tirar qualquer dúvida.
Passada a primeira instância, a fase da adaptação, seja pela primeira vez na escola, seja por uma escola nova ou até mesmo um professor novo, passa-se à fase seguinte de igual preocupação, o convívio social de seu educando. Claramente estar adaptado é conviver bem nessa esfera educacional e em grupo. Nesse contexto implicam também as boas relações entre escola, família, educadores e educandos. Toda criança tem que se relacionar de modo satisfatório, e toda criança tem de ter colegas para criar essas relações que são tão necessárias para o meio social delas. Portanto, se temos um lugar seguro, a criança se sente feliz e quer ir para a escola de bom grado, seus resultados tem meio caminho andado para ser bons. Mas, ai implicam outros fatores, de especial importância… estar atentos às necessidades educativas dos seus filhos enquanto aprendizes é o que vai realmente assegurar seus objetivos. Observar o comportamento dos seus filhos na escola, acompanhar sua aprendizagem e principalmente suas dificuldades de aprendizagem, será a solução que tornará possível que ele adquira conhecimentos de forma positiva, salutar e com bons rendimentos. Acompanhar trabalhos de casa, verificar o que está a ser ensinado, tirar duvidas quando possível e quando não puderem, assegurem uma ajuda de modo que a criança encontre um meio de as tirar, estar em contacto com o professor, perceber se a criança consegue acompanhar o ritmo das aulas, se esta a aprender, verificar se ela vê e ouve bem (no caso de qualquer suspeita procure um profissional), se tem uma grafia normal, perceber se tem interesse em aprender e se não tem, procurar saber o motivo, estar atento se a criança não tem dificuldades a mais que julgamos normais, entre em contacto com o educador, peça orientação, procure um profissional da educação para identificar essas dificuldades e suas origens. Nunca desmereça seu filho. Não somos todos iguais. Tenha obviamente um termo de comparação para saber distinguir o que se deveria alcançar em relação ao rendimento escolar, mas acredite que cada um tem um ritmo de aprendizagem, o importante é garantir que seu filho aprenda. Se é uma criança que não alcança facilmente os melhores resultados, existe sempre um profissional que lhe pode ajudar a perceber o que se passa.
Valorizar a escola e os que nela trabalham, educar seus filhos para perceber esse valor, ensinar que respeito é uma via de mão dupla, que só ganhamos o que oferecemos, também será um facilitador para que a educação na escola comece em casa.
É preciso conhecer seu filho como educando, com olhos bem abertos e vigilantes. Estar presente na sua vida é estar atento. Saber quem é, é saber o que faz dentro da escola, como se comporta, saber como se dá sua aprendizagem, quem são seus colegas, tudo isso é importante para perceber seu filho. Não incito a invadir a privacidade de ninguém, mas oriento a acompanhar de perto. Só assim garantimos a nossa parte, com responsabilidade, só assim nos certificamos que estamos a ajudar a assegurar bons frutos. Ajudar não é pescar o peixe, mas sim, ensinar como usa a cana de pesca!

6

622 total views, 1 views today