Últimas

“The 6”

Álbum do rapper Drake «Views from the 6»

levou moradores a falar sobre as origens da sua cidade

 

Esqueçam “T-Dot”. O mesmo vale para a “Big Smoke”. Nem sequer pensem em “Hogtown”. Se ainda não estão a chamar Toronto de “The 6”, então não estão a acompanhar a tendência.
Em julho de 2014, o rapper Drake anunciou o título do seu mais novo álbum “Views from the 6”, entretanto lançado, e isso originou uma enorme especulação por trás do significado do nome e a sua influência. Isto levou rapidamente à descoberta da associação do termo à sua cidade natal Toronto, e assim todos assumiram que esta era a tentativa de Drake para criar um apelido novo.
Com o “The 6” a tornar-se rapidamente uma tendência mundial no Twitter, houve – e ainda há – uma certa confusão sobre o significado da palavra. No início, o ceticismo e sarcasmo apoderou-se de muitos Torontonianos, confiantes de que o nome seria algo que nunca iria “pegar de estaca”.
Muita coisa parece ter mudado, entretanto, com “The 6” – às vezes escrito como The 6ix ou The Six – a ser um nome que, aparentemente, veio para ficar. E graças ao endosso entusiástico de celebridades, atletas e, por que não dizer, de muitos Torontonianos, “The 6” tornou-se um dos nomes mais famosos alguma vez atribuído à cidade – e um que os seus moradores parecem ter orgulho em usar.
Curiosamente, uma sondagem da Forum Research, divulgada a 17 de agosto de 2016, descobriu que apenas sete por cento das pessoas se referem à cidade como “The 6ix”, com um total de 75 por cento dos Torontonianos a chamar a cidade de Toronto, e pronunciando To-RON-to.
Outros 10 por cento dos residentes de Toronto utilizam o termo TO, enquanto os restantes 8 por cento utilizaram um termo diferente.

Uma sondagem da Forum Research, divulgada em 17 de agosto de 2016, revelou como os residentes de Toronto se referem à sua cidade.

Um total de 70 por cento dos Torontonianos pronuncia cada sílaba quando diz Toronto, enquanto 24 por cento usam a versão mais curta, duas sílabas conhecidas pela maioria dos moradores: Tronnah. E este é um tópico em que todos têm uma opinião: apenas seis por cento dos moradores de Toronto disseram que não sabiam como eles pronunciavam o nome da sua cidade.
Mas o que “The 6” diz sobre Toronto, que “Hogtown” ou “Big Smoke” não dizem? George Elliott Clarke, poeta laureado e professor de inglês na Universidade de Toronto, vê a cidade em busca de uma identidade.
“Todas essas diferentes combinações de apelidos ao longo dos anos sugerem que a identidade da cidade permanece em fluxo e muda geracionalmente”, explica, durante uma reportagem ao Globe and Mail, em julho de 2015. “A identidade permanece muito instável, e eu acho que isso é bom. Parte da tensão criativa de Toronto é que esta, é uma mistura de várias influências culturais.”
Clarke lembra, no entanto, que por uma alcunha estar a crescer em popularidade, não significa que os outros (cognomes) tenham que desaparecer completamente. Seja como for, acrescenta Clarke, são as pessoas que irão decidir quando, onde e como esse apelido será adotado e comunicado – e por quanto tempo.
Será caso, então, para dizer que Drake teve um golpe de génio? Ou tudo não terá passado de uma inteligente estratégia de marketing? O que é inegável é que Drake, um dos rappers mais famosos da música moderna, assumiu parte da responsabilidade ao popularizar a frase na cultura mundial, sendo vista como uma espécie de poster da sua cidade de nascimento. Mesmo a sua linha de roupa pessoal apresenta muitos itens marcados com um estilizado “6” que representa a sua cidade natal.
Teorias sobre a origem do nome
Quanto ao significado de “The 6”, que ainda está em debate, as primeiras especulações apontaram para os códigos de área da cidade – 416 e 647. Uma outra teoria que tem ganho alguma credibilidade envolve a fusão de Toronto em 1998, quando os seis diferentes municípios – Etobicoke, North York, Scarborough, York, East York e Toronto – se fundiram numa única municipalidade.


Mas voltemos um pouco atrás, à história da cidade de Toronto.
Os povos indígenas tinham vivido na área que era Toronto por milhares de anos. Em 1793, os oficiais britânicos negociaram a compra de Toronto com os povos indígenas. A primeira cidade criada nessa área foi chamada a cidade de York, em nome do príncipe Frederick, duque de York e de Albany, que foi designada como a capital do Canadá.
A cidade foi invadida na Batalha de York, durante a Guerra de 1812, pelas forças dos EUA. A população teve primeiramente um aumento significativo da população quando a “grande fome” irlandesa levou muitos imigrantes irlandeses a mudar-se para a cidade. York foi rebatizada para Toronto em 1834, e transformou-se a capital do Ontário em 1867. No final do séc. XIX, foi construído um vasto sistema de esgotos, e algumas décadas mais tarde, transformou-se no maior centro de destilação de álcool na América do Norte.
Em 1954, a cidade de Toronto e 12 municípios vizinhos foram unificados num governo regional. A explosão económica do pós-guerra levou a uma mudança para os subúrbios. Em 1967, os sete maiores municípios da área Metropolitana de Toronto foram fundidos numa configuração de seis municípios que incluía Old Toronto, East York, North York, York, Etobicoke e Scarborough.
Em 1998, o Governo do Ontário decidiu juntar os seis municípios, propondo uma medida, que visava a poupança de gastos. Como resultado da fusão, Toronto é agora a maior cidade do Canadá e, atualmente, a quarta maior cidade da América do Norte, atrás da Cidade do México, Nova Iorque e Los Angeles.
Mesmo que os seis municípios anteriores sejam tecnicamente todos de Toronto, estes ainda são referidos pelos seus nomes originais. As razões prendem-se com o facto de haver muitos nomes de rua repetidos, pelo que, para identificar a sua localização, é necessário identificar a área distrital.
E agora, caro leitor, o que pensa de toda esta história? Já se deixou contagiar pela tendência e vai começar a chamar Toronto de “The 6”? A opção é sua…

Tiago Samuel

493 total views, 2 views today