Últimas

Aloé Vera

Aloé Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade.
George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloé na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, de uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscórides e Plínio usavam Aloé obtendo maravilhosos efeitos.

Lily of the Desert
O Lírio do Deserto: Aloé Vera na história da humanidade
Aponta-se que a origem da Aloé se deu na África, sendo atualmente encontrada com facilidade em qualquer lugar de nosso planeta. Hoje são incontáveis os produtos, sejam medicinais ou cosméticos, que a utilizam em sua composição.
A Aloé Vera é também conhecida por “lírio do deserto”, foi muito utilizada por civilizações antigas. A Aloé era transportada pelos soldados do exército de Alexandre O Grande para ser utilizada como medicamento de primeiros socorros. Aplicada em ferimentos nas batalhas, acelerava em muito o processo de cicatrização. Existem também registos da Aloé sendo utilizada como medicamento na frota de Cristóvão Colombo e em outras das Grandes Navegações. A Aloé é tida pelos historiadores como sendo o grande segredo de beleza de Cleópatra, lendária musa do Egito Antigo que encantava a todos pela sua pele radiante.
Aloé Vera Barbadensis é uma espécie muito suculenta, que se parece com um cato, é membro da família liliáceas e parente da cebola, alho e aspargos. A Aloé alcança a maturidade em 4 anos quando a polpa contida dentro das suas folhas, uma espécie de seiva, pode ser preservada e engarrafada para produzir o sumo natural da planta.

Aloé Vera é realmente uma das principais dádivas do Reino Vegetal. Se todos soubessem os benefícios nutricionais e medicinais importantes que esta guarda dentro de suas folhas, provavelmente haveria um pequeno jardim de Aloé em cada residência e, definitivamente, as farmácias venderiam menos medicamentos.
Embora a maioria apenas tenha conhecimento acerca das aplicações externas, os seus benefícios quando usada internamente (ingerida) são tão ou mais significativos.
Ao pesquisar a literatura científica disponível, percebe-se que a Aloé destaca-se como uma planta singular, com uma incrível variedade de benefícios para a saúde. Em uma única planta podemos encontrar os seguintes benefícios, ou auxílios que a mesma presta ao organismo com o propósito de:

– Interromper o crescimento de tumores cancerígenos;
– Reduzir os índices de colesterol ruim;
– Dissolução de pedras nos rins e proteção contra cristalização dos oxalatos presentes no café e em alguns chás;
– Alcalinizar o sangue, o que é especialmente útil num mundo onde se consome tanto açúcar e farinha;
– Tratar úlceras, IBS (síndrome do intestino irritável), doença de Crohn e outras desordens digestivas;
– Reduzir a pressão sanguínea elevada tratando da causa, e não apenas dos sintomas;
– Acelerar a cura de queimaduras físicas e radioativas;
– Corrigir a constipação;
– Estabilizar os níveis de açúcar no sangue;
– Prevenir e tratar as infeções causadas pela Cândida;
– Proteger o fígado contra diversas doenças;
– Aumentar o desempenho cardiovascular e a resistência física;
– Hidratar a pele e acelerar sua regeneração em caso de cortes ou feridas de qualquer tipo;
– Diluir o sangue que porventura esteja muito denso/grosso, facilitando em muito a circulação;
– Aumentar a oxigenação sanguínea;
– Diminuir processos inflamatórios e aliviar as dores da artrite;
– Proteger o corpo contra o estresse oxidativo.

A Aloé Vera é capaz de sobreviver em climas áridos e desérticos por ter desenvolvido uma engenhosa técnica de armazenamento de água. Ela atua como um reservatório vivo do precioso líquido. Contudo, o líquido armazenado por estas plantas é mais do que simples água, aliás, é uma polpa composto de gliconutrientes de cadeia longa, denominados polissacarídeos.
O tesouro da Aloé é esta polpa! Nela estão contidas incontáveis propriedades medicinais. Na sua composição encontram-se determinados compostos que fornecem uma capacidade rápida de cicatrização e regeneração, no tratamento de úlceras ou cortes de todos os tipos.

Estudos e benefícios comprovados
Atualmente, as suas propriedades mais conhecidas são a nível cosmético (pele e/ou cabelo). A Aloé é excelente para se passar na pele antes de se expor ao sol, pois além de proteger contra a desidratação, atua como um protetor contra queimaduras.
Existem ainda outros fatores altamente benéficos que ainda são pouco conhecidos pela maioria da população.
Uma vez que não há dinheiro ou lucro nas pesquisas que envolvem a Aloé Vera (ela é uma planta, não um composto que pode ser patenteado e comercializado), seus grandes e múltiplos benefícios permanecerão ocultos aos olhos da ciência tradicional. Muitos dos impressionantes efeitos e funcionalidades das ervas ainda não foram estudados, justamente devido a este simples motivo: não há lucro que motive o patrocínio e suporte a estes estudos. Portanto, não fique esperando que os cientistas resolvam “provar” que a Aloé Vera tenha todos estes benefícios. Ao invés disto, experimente por você mesmo e comprove-os.

Redução de processos inflamatórios no organismo
Usar Aloé topicamente é uma maneira bem conhecida de reduzir a inflamação nas juntas, reduzindo as dores da artrite. Entretanto, a Aloé também pode ser utilizada internamente, reduzindo a inflamação ao longo do corpo, de dentro para fora. É comum às pessoas que ingerem Aloé por pelo menos duas semanas uma significativa redução de seus sintomas de inflamação.

Estabilização da glicemia sanguínea em diabéticos
Pacientes diabéticos que consumiram Aloé Vera apresentaram uma queda significativa em picos elevados de açúcar no sangue. A qualidade do sangue também pode beneficiar, uma vez que Aloé deixa o sangue mais diluído, melhorando a circulação até as extremidades corporais, os diabéticos que sofrem de neuropatia periférica (mãos e pés que necrosam por falta de circulação) podem beneficiar muito deste.

Equilíbrio do Colesterol e Triglicéridos
Quando utilizado internamente, a Aloé melhora a qualidade do sangue e ajuda no reequilíbrio da sua bioquímica de tal maneira que reduz o alto índice de colesterol ruim e triglicéridos em pessoas que os apresentam. A Aloé (em doses generosas), em conjunção com outros alimentos e ervas naturais, são uma alternativa bem mais segura e económica do que o uso de medicamentos, que já demonstraram diversos efeitos colaterais nocivos.

Tratamento de úlceras, IBS (síndrome do intestino irritável), doenças de Crohn e doenças celíacas
Os polissacarídeos da planta tem efeito regenerativo em numerosas desordens digestivas. A Aloé não é uma cura “mágica”, nem seu efeito é instantâneo. Para reverter os sintomas é necessário a utilização regular por várias semanas ou mesmo meses.
Contém alto teor de Acemannan, um reforça o sistema imunológico natural:
A Acemannan estimula o movimento dos órgãos digestivos e contribui para a eliminação, pelo intestino grosso, de proteínas estranhas, causadora de alergias. A Acemannan tem efeito direto sobre as células do sistema imunológico. Ativa e estimula macrófagos, monócitos, anticorpos e também linfócitos T (células cujo papel é aumentar a resistência imunológica do organismo).

Aloe Vera: a evolução do kit de primeiros socorros
A Aloé Vera é um potente antisséptico natural, que já nos é entregue pronto para utilizar pela Natureza. Afinal, a composição da sua polpa é elaborada com uma eficaz propriedade antiviral, antibacteriana e antifungal para a própria sobrevivência da planta no deserto. Se assim não fosse, qualquer arranhão ou pequeno corte deixaria o conteúdo nutritivo da planta disponível para que bactérias e invasores diversos a destruíssem.
Ao aplicar pequenos pedacinhos dentro de cortes e feridas elas cicatrizam sem deixar qualquer marca ou cicatriz! Conforme a polpa vai secando, ela vai-se contraindo e “puxando” a pele, fechando a ferida e ao mesmo tempo deixando-a completamente livre de bactérias nocivas que possam infecionar. Some estes benefícios ao facto da polpa ser densamente nutritivo para a pele, fornecendo todos os nutrientes para sua regeneração.
Pode, também, ser utilizado em animais, poupando-os da exposição a muitos químicos nocivos e efeitos colaterais presentes em medicamentos veterinários. Sem dúvida que é preferível que estes lambam uma polpa natural do que um conjunto de químicos artificiais.
Entretanto, vale ressalvar que isto não implica que a Aloé pode substituir uma sala de emergência.
A polpa trata só de cortes, arranhões, queimaduras, mordidas, etc. superficiais.

Fim dos desconfortos do refluxo
Tudo o que é necessário para tratar refluxo sem medicamentos é o uso regular de Aloé Vera. Os sintomas desaparecem em poucos dias. Mas claro, de nada adianta tomar a Aloé se não fizer uma alimentação cuidada.

Redução em derrames e ataques cardíacos
Ao melhorarmos a qualidade do sangue os riscos de manifestação de derrame ou enfarto diminuem significativamente. A Aloé impede que as células se coagulem, o que é umas das grandes causas dos derrames.
A Aloé Vera consegue fazer com que as células se separem umas das outras, o sangue vai fluir novamente e permitindo assim que o oxigénio e os nutrientes possam novamente chegar a todos os órgãos e células.

Dentro de uma folha de Aloé Vera
A polpa da Aloé Vera contém mais de 75 substâncias que se dividem nos seguintes grupos:
Vitaminas – Contém um grupo enorme delas. As vitaminas C e E, com ação antioxidante, Beta caroteno – a precursora da vitamina A. É também uma das poucas plantas fonte da vitamina B12.
Minerais – Magnésio, zinco, manganês, cálcio, sódio, potássio e cobre.
Aminoácidos – O corpo humano precisa de 22 aminoácidos, os construtores das proteínas, e a Aloé Vera possui 20 deles. E o mais importante ainda é que ele fornece sete dos oito aminoácidos essenciais que não podem ser produzidos pelo corpo e por isso precisam ser adquiridos diariamente.
Açúcar – Está incluída na polpa na longa cadeia de polissacarídeos que agem no sistema imunológico, o Aloemanann (ou Acemanann) é um dos principais.
Enzimas – As lípases e protéases as quais quebram as moléculas dos alimentos e auxiliam na digestão, e também a carboxipeptidíase que está envolvida no processo anti-inflamatório.
Esterol da planta – Os três tipos principais agem como um forte agente anti-inflamatório.
Lignina – Esta substância dá à polpa da Aloé a sua habilidade de penetrar e alcançar a camada mais funda da pele.
Saponina – É uma substância que aplica uma potente função antimicrobiana contra as bactérias, vírus e fungos como a cândida e as micoses.
Antraquinonas – As mais importantes são a aloína e a emodina, e juntas se transformam num forte analgésico e são responsáveis por processar as atividades antibacterianas e antivirais.
Ácido Salicílico – Este componente da aspirina é um anti-inflamatório e quando usado topicamente ajuda a diminuir a morte dos tecidos.

Aposte no sumo de Aloé Vera
Ele faz bem à saúde e ajuda na imunidade.
Dentro das rodas de Yoga, um assunto que quase sempre vem à tona é o sumo da Aloé Vera. Os terapeutas naturais têm recomendado a sua ingestão e a popularidade da bebida só vem a aumentar. Mas qual a utilidade desse sumo?
A Aloé Vera reabastece o corpo naturalmente com aminoácidos essenciais, tem a capacidade de inibir a inflamação e dores nas articulações, sem efeitos colaterais. Além disso, complementa as necessidades diárias de vitaminas como A, B1, B2, B6, B12, C e E, ácido fólico, etc. A Aloé Vera contém nove minerais essenciais, que incluem o cálcio, sódio, ferro, potássio, cromo, magnésio, manganês, cobre e zinco. Também é imensamente conhecida pelo seu alto poder cicatrizante e ajuda o corpo a ter uma melhor imunidade, protegendo de várias doenças. Quando ingerida como sumo, a Aloé Vera também ajuda a controlar o açúcar no sangue, promove a saúde cardiovascular e melhora o funcionamento do fígado e rins.
O sumo da Aloé Vera atenua a azia, colabora no processo digestivo e ainda auxilia a manter o peso. Seus ácidos beneficiam não somente o estômago, mas também o cólon (ideal para quem sofre de síndrome do cólon irritável) e o intestino delgado.

Contacte-nos hoje mesmo para informações nutricionais sobre este e outros produtos, bem como o modo de uso, ingredientes e benefícios.
Não esqueça… o seu corpo é o seu templo.

426 total views, 1 views today