Beleza & ModaPortugal

Marcas Portuguesas, Com Certeza.

Em cada país que visita, a raínha Letízia de Espanha faz questão de usar acessórios nacionais.
Foi o que aconteceu aquando a sua visita a Portugal, em dezembro de 2016 e por isso, optou por usar os brincos e carteira Parfois. Claro que também poderíam ser os sapatos, já que a raínha é fervorosa admiradora – e cliente – do estilista Luís Onofre.
Portugal tem nas últimas duas décadas dado cartas na moda nacional, com impacto no panorama internacional. Há cada vez mais marcas portuguesas com portas abertas no estrangeiro, criando a coincidência de encontrar por aí uma marca nacional, nada mais do que uma grande realidade.

 

A PARFOIS por exemplo, é uma conhecida marca de bijuteria e acessórios a preços acessíveis, fundada em 1994 e com lojas em mais de 20 países da Europa, bem como nas Filipinas, nos Emirados, em Angola e Moçambique, entre outros.

Ainda na bijuteria, se alguém tivesse augurado que as pulseiras que começaram a ganhar vida, quando três amigos apaixonados pela vela e pelo surf, em Viana do Castelo, começaram a fabricar em tom de brincadeira, se tornariam um acessório de moda vendido no mundo inteiro, dificilmente alguém acreditaria. As pulseiras já passaram por feiras internacionais em Itália, Nova Iorque, Las Vegas e Tóquio. As pulseiras de cabos coloridos, a que juntaram mosquetões, manilhas e nós náuticos, soltaram amarras e vendem-se em 13 países, da Europa às Caraíbas, em 56 pontos de venda, que, em menos de um mês, vão ser 75 com a comercialização já assegurada nos EUA. Incentivados por Jeremy Hackett, fundador da Hakett London, e pela história do navegador João Álvares Fagundes aquém e além-mar. Diz a lenda, que numa expedição marítima à Terra Nova, o homem terá caído ao mar gelado quando confirmava o número de nós e terão sido estes a salvar-lhe a vida. Desde esse dia, o aventureiro fez do cabo um amuleto, que serviu de inspiração aos três sócios, nascendo assim a CABO D’MAR.

 

O calçado nacional tem tido um papel de relevo exceptional em feiras internacionais, o que se traduz no sucesso além fronteiras de marcas como a Eureka, Perks, Nuuk, Lemon Jelly, Comodoro, Undandy e Fly London.
A UNDANDY por exemplo, é a única marca de sapatos nacional de sapatos personalizados masculinos, já que o mercado da moda no masculino cresce a olhos vistos. A ideia vem de dois amigos, Gonçalo Henriques e Rafic Daud que pensaram a possibilidade de criar de raiz o seu próprio sapato numa plataforma digital – escolhendo a forma, as matérias em cada parte do modelo, as cores, a costura, os atacadores e até a personalização da escrita na sola. Matemática feita, eles calculam que são, no final, 156 bilhões de opções… e para aumentar este número agora lançaram os Shnekears, ou seja, a possibilidade de usar a sola de um ténis num modelo de sapato formal. A produção é totalmente artesanal e nacional. A Undandy cresce dentro e fora, já sendo vendida nos quatro cantos do mundo.

 

A Procalçado que desde 1978 que se dedica a fazer solas de borracha para outras marcas – incluindo para a estilista Carolina Herrera e para a britânica Hunter, dá origem 40 anos depois à LEMON JELLY – a ideia de criar uma marca irreverente e inovadora na área do calçado de plástico começou em 2013 e entre a ideia e o lançamento – em março de 2013, em itália, por ocasião da feira Micam [uma das maiores feiras de calçado do mundo] passaram poucos meses. A marca começou logo a ser vendida por ocasião do Vogue Fashion’s Night Out, em setembro. Assumidamente jovem, urbana e dinâmica; o nome vem do perfume a limão que está literalmente impresso em todo o calçado que sai das suas fábricas, como se uma explosão de gelado, gomas, rebuçados e chupa-chupas com este aroma pudesse tornar o produto ainda mais especial!

 

Quando surgiu no mercado há duas décadas, a FLY LONDON passava praticamente despercebida no mercado nacional e o nome inglês escondia a verdadeira identidade da marca. Com sede em Guimarães, uma filosofia própria que não segue as tendências da estação mas explora uma linguagem e uma imagem pouco convencional, tornou-se a mais internacional das marcas de calçado português, sendo a imagem da famosa mosca, a oitava marca de sapatos mais vendida do mundo.

 

 

 


No que diz respeito à industria do vestuário, a LANIDOR com origem em 1966, tem evoluído, explorando novos segmentos de mercado, contando atualmente com sete conceitos inovadores, todos relacionados com o mundo da moda: LA Woman, a primeira marca Lanidor; LA Kids & Júnior (roupa para criança dos 2 aos 12 anos); LA Caffé (caffé & restaurant) associado à sua loja de Entrecampos, em Lisboa; LA Factory ; LA Boutique (coleção exclusiva); e mais recentemente, LA Mag (revista trimestral), e gere o Darwin’s Café, na Fundação Champalimaud.
O grupo Lanidor explora as lojas das marcas Lanidor, GLOBE – adquirida em 2006, Casa Batalha e uma participação de 31% da Quebramar, desde 2011. Têm lojas espalhadas por todo o mundo.

A QUEBRAMAR inicialmente foi criada por Gonçalo Esteves que desenhava e vendia t-shirts alusivas à vela, atividade que praticava no Clube Naval de Cascais. O objetivo era ganhar dinheiro para as férias. Mas três anos depois, o projeto tornou-se um negócio e foi criada a Quebramar. A marca, que no início tinha quatro trabalhadores, começou por ser vendida em catálogo. Em novembro passado, o Novo Banco que retinha 83% das cções da Quebramar, acabou por vender o passivo a dois empresários brasileiros que são atualmente os novos donos, juntamente com a Lanidor, de uma marca com 36 lojas em Portugal, uma no Qatar e outra em Moçambique.

A LION OF PORCHES é um caso sério de sucesso nacional, pertencente ao mesmo grupo de empresas que a Decénio, nasceu em 2012 e tem como inspiração central o estilo britânico, bem visível em vestuário e acessórios casuais, descontraídos e sofisticados, disponíveis tanto para homem, como para mulher e criança. A Lion of Porches aposta em peças confortáveis, intemporais e citadinas sem nunca perder o doce balanço entre o lado tradicional e um twist contemporâneo. Com lojas monomarca e multimarca desde a Arábia Saudita aos Estados Unidos, surpreende com uma imagem clássica sem caír no aborrecimento.

A SALSA é uma marca portuguesa que tem sido pioneira no mundo da ganga ao se especializar na criação de modelos técnicos que favorecem e realçam a fisionomia do corpo. Estão presentes em 35 países.

Quanto à SACOOR, marca de imagem muito próxima da americana Brooks Brother, nascida em Lisboa em 1989 pela mão de quatro irmãos. Recentemente aberta a centésima loja, com outlets na Inglaterra, Bélgica, Singapura e Malásia, a Saccor aposta fortemente na imagem do homem e mulher cosmopolitas e distintos, com embaixadores em elegância como Cristiano Ronaldo, Patrick Dempsey, William Baldwin, Adam Rodriguez, Chris O’Donnel, Irina Shayk e Rob Lowe.

 

 

5,082 total views, 2 views today

Tags

Ver também

Close
Close
Close