EmpreendedorismoFilosofia

A importância da imagem para o sucesso das realizações

Ao fazer uma breve análise a respeito de várias coisas que já desejamos e as obtivemos, será fácil concluir que somos mais capazes do que supomos. Ou seja, há em nós uma imensa capacidade de concretizar desejos e planos que fazemos. Pena que agimos de maneira duvidosa em tantos outros casos. Tudo é possível. Todavia, é preciso consultar a própria experiência, confiando nela como guia para as novas possibilidades.

Direitos Reservados

Um exemplo clássico deste tipo de situação é quando desejamos comprar um bem que temos em mira, como uma televisão. Bem sabemos que nem sempre o dinheiro está disponível para que se entre numa loja de eletrodomésticos, escolher o modelo que mais agrada e, finalmente, pagar por ele. Via de regra, há contas que aguardam pelo seu pagamento, comprometendo o salário: prestação de casa ou aluguer, compras de supermercado, luz, água, etc. Mas mesmo assim, caso a vontade de possuir a televisão seja muito forte, embora a matemática financeira nos mostre ser uma situação impossível, damos um salto, superando-a. Pedimos para fazer horas extra no nosso trabalho. Aceitamos colaborar com trabalhos extras da vizinhança. Exigimos maior economia dentro de casa, evitando o desperdício. Cada centavo vale o seu real valor e, portanto, é somado a outros até formar uma nova e importante quantia e, desta forma, valoriza-se ou invés de desprezar o que outrora não despertava atenção. Nos motivamos a procurar mais dinheiro e a controlá-lo melhor. Cavamos daqui, apertamos dali. Ajuntamos e compramos o que queremos. O que era impossível torna-se possível. Ultrapassamos os limites daquilo que se mostrava limitante. Provamos possuir o poder de se realizar desejos, sonhos e planos.

Para isto, dois aspetos importantes estão presentes neste fenómeno: vontade e imaginação. Um alimenta o outro. Enquanto se quer muito uma determinada coisa, seja um bem material, seja uma amizade ou um romance, imaginamos, por várias vezes, viver a situação de posse. Enquanto desejamos bastante comprar um bem, além de acharmos os meios de pagar por ele, imaginamos possuí-lo, mostrando-o aos nossos conhecidos, etc. Em outra situação, quando queremos nos aproximar de alguém para formar uma amizade ou construir uma vida amorosa, nos imaginamos conversando com esta pessoa, tocando-a, ouvindo-a, enfim, convivendo com ela. Tais imagens que fazemos através de nossos pensamentos, banhados pelas emoções, nos motivam, muitas vezes, a prosseguir na luta de se concretizar os sonhos e planos traçados.

Então, o poder da imagem que criamos em nossas cabeças é forte o suficiente para nos motivar a empreender e a realizar o que pretendemos. Ele é fundamental neste processo de conquista porque nos dirige, por meio dos comportamentos, aos objetivos estabelecidos. Ele nos dá força e sustentação, mesmo diante de alguns empecilhos que se apresentam ao longo da jornada. Ou seja, criamos uma imagem constante dentro de nós que, apesar de tantas dificuldades, cremos mais na imaginação do que nos entraves. E, ainda, a nossa fé na imagem construída é superior aos obstáculos. Cria-se uma força poderosa através das imagens e aumentam-se as hipóteses de se ter sucesso nas realizações.

Contudo, em alguns casos não seguimos estes passos que nos conduzem ao êxito dos empreendimentos. Não cremos nas possibilidades, antes mesmo de se tentar. Fugimos da raia. Abandonamos o campo no primeiro tempo. Desistimos. É como se não existisse qualquer experiência anterior que nos comprovasse as glórias obtidas. Travamos e não reiniciamos. O medo e a descrença são maiores. Porém, se recorrermos às nossas memórias, detalhadamente, sobre como já superamos situações aparentemente impossíveis, podemos encontrar fôlego e nos motivar a iniciar uma nova conquista. Não há como apagar o que já foi um facto concreto, restando-nos a sua boa utilização para que troquemos o medo pela tentativa e a descrença pela fé. Recorrer às imagens poderosas das realizações é um recurso valioso. Ele está disponível em todos nós. Não é um privilégio de poucos. A imagem criada nos força a agir e a atingir objetivos. Não obstante, temos que tomar o cuidado acerca das imagens negativas que construímos. Elas nos dirigem a sua finalidade também. Se crermos que não será possível conquistar uma determinada coisa, assim procedermos com relação a ela, dificultando de diversas maneiras o seu sucesso. Não nos damos conta a este respeito porque não prestamos atenção. No entanto, temos uma escolha, desde que nos dediquemos a ela. Que escolha desejamos a nós mesmos?

Armando Correa de Siqueira Neto

9,272 total views, 15 views today

Tags

Ver também

Close
Back to top button
Close
Close