Montreal - Revista Amar
CanadáTurismo

Montreal

Montreal é a maior cidade da província canadiana de Quebec e o segundo município mais populoso do Canadá. Originalmente chamada de Ville-Marie, ou “Cidade da Maria”, a cidade foi renomeada para “Montréal”, uma versão arcaica, escrita de forma simplificada, em homenagem ao Monte Royal, uma colina localizada num parque no centro da cidade. A maior parte de Montreal está localizada na Ilha de Montreal, que tomou o nome da cidade como algumas ilhas periféricas menores. Montreal tem um clima continental distinto de quatro estações com verões quentes e invernos frios e nevosos.

Em 2016, a cidade tinha uma população de 1.704.694 habitantes, na área metropolitana tinha uma população de 4.098.927 e a aglomeração urbana de 1.942.044, incluindo todos os municípios da Ilha de Montreal. O francês é a língua oficial da cidade, é a língua mais falada em casa, seguida do inglês e por outras línguas. A aglomeração urbana de Montreal é uma das mais bilíngues da província de Quebec e do Canadá, com mais de 59% da população capaz de falar tanto o inglês como o francês. Montreal é a segunda maior cidade de língua francesa do mundo, depois de Paris na França.

A cidade foi historicamente a capital comercial do Canadá, mas foi superada em população e em força económica por Toronto na década de 1970. Continua a ser um importante centro de comércio, tecnologia aeroespacial, finanças, produtos farmacêuticos, tecnologia, design, educação, cultura, turismo, jogos, cinema e assuntos mundiais. Sendo a localização da sede da Organização da Aviação Civil Internacional, Montreal é uma das três cidades norte-americanas que abriga a Organizações das Nações Unidas (juntamente com Washington, D.C. e Nova York) e também tem o segundo maior número de consulados no continente. Montreal também já foi nomeada pela UNESCO como cidade do design. Montreal acolheu os Jogos Olímpicos de Verão de 1976, conhecidos oficialmente como os Jogos da XXI Olimpíada, sendo assim a primeira e única cidade canadiana a realizar os Jogos. Os Jogos de Montreal enfrentaram alguns problemas políticos e refletindo-se num desastre financeiro, pois de uma estimativa inicial de custo de 310 milhõe de dólares americanoss, as despesas atingiram 1,5 mil milhões de dólares americanos, acarretando o descontentamento da população canadiana e que obriga o Canadá a passar décadas até conseguir pagar as dívidas contraídas pela organização do evento. O ousado e caríssimo estádio olímpico é hoje um monumento estático, eternizando a lembrança do enorme prejuízo financeiro causado pelos altos custos da organização, um dos mais caros Jogos já realizados. Em 2009, Montreal foi a nomeada como a principal sede da norte-americana de eventos de associação internacional, de acordo com os rankings preliminares de 2009 da Associação Internacional de Congressos e Convenções. Em 2012, Montreal foi classificada como uma cidade global. A edição de 2017 da QS Best Students Cities classificou Montreal como a melhor cidade do mundo para se ser um estudante universitário. Em 2015 a revista Economist classificou Montreal como a 14ª melhor cidade do mundo para se viver entre as 140 cidades avaliadas. Atualmente, Montreal recebe o Grande Prémio do Canadá de Fórmula 1 no Circuito Gilles-Villeneuve, o Festival Internacional de Jazz de Montreal e o Festival Just for Laughs.
Montreal é considerada uma das cidades mais seguras do continente americano.

Museu Château Ramezay/Foto: DR
Foto: Direitos Reservados
Canal Lachine/Foto: DR

História

O local onde fica a cidade de Montreal era habitado por nativos algonquinos, hurões e iroqueses, milhares de anos antes da chegada dos primeiros europeus. Os rios e lagos da região eram cheios de peixes, que serviam como alimento aos nativos, além de servir como rotas de transporte. Jacques Cartier foi o primeiro europeu a pisar na atual cidade de Montreal, que navegou o Rio São Lourenço, em 1535. Ouvindo rumores de uma aldeia iroquesa, hoje a cidade de Quebec, de que existia ouro na Ilha de Montreal, e impedido de continuar sua exploração rio acima pelas Cataratas de Lachine (geograficamente a sul de Montreal), Cartier explorou a ilha, avistando uma aldeia iroquesa, Hochelaga, onde viviam aproximadamente mil nativos. A aldeia estava localizada ao pé do Monte Royal. Cartier então fincou uma cruz, a primeira de uma série, em honra ao Rei Francisco I – Rei de França -, que havia patrocinado a excursão de Cartier. Para a infelicidade do navegador francês, o que os nativos descreviam como um “metal brilhante” não passava de quartzo, ou possivelmente pirita (o ouro dos tolos).
Samuel de Champlain foi à Ilha de Montreal duas vezes, em 1603 e 1611, quase um século depois de Cartier. Hochelaga, então, já havia sido abandonada pelos iroqueses.

Colonização Europeia

Em 1639, o cobrador de impostos Jérôme Le Royer criou uma companhia, em Paris. O objetivo da companhia era a colonização da atual Ilha de Montreal. Em 1641, a companhia enviou um grupo de missionários cristãos, cujo objetivo principal era “cristianizar” os nativos locais. Em 1642, o grupo missionário, composto por cerca de 50 pessoas, desembarcou na ilha e construiu um forte, estabelecendo a Vila Maria de Montreal (Ville Marie de Montréal).
Ataques iroqueses assolaram continuamente o forte, esperando destruir a então rentável troca de peles que os franceses mantinham com os algonquinos e hurões, rivais dos iroqueses. Apesar destes ataques, Montreal prosperava como centro católico de troca e venda de peles, bem como uma base central para a exploração de outras regiões da Nova França (regiões da América do Norte fazendo parte do império francês). No início do século XVII, a pequena Ville-Marie passou a ser chamada de Montreal. Então, possuía uma população de aproximadamente 3,5 mil habitantes. Montreal foi invadida por forças inglesas em 1760, durante a Guerra Franco-Indígena (1754 a 1763), e passou definitivamente para controle britânico em 1763, dada a decisão francesa de manter a Ilha de Guadalupe, no Tratado de Paris, cedendo as colónias na América do Norte para o Reino Unido. Foi ocupada temporariamente pelos Estados Unidos durante a guerra da independência dos Estados Unidos em 1776. Benjamin Franklin e outros diplomatas americanos tentaram conseguir o apoio dos canadianos francófonos à causa da independência das Treze Colónias contra os britânicos, mas sem sucesso. Em junho de 1776, com a chegada das tropas britânicas, os americanos recuaram. No início do século XVIII, Montreal possuía aproximadamente nove mil habitantes, quando imigrantes vindos da Escócia começaram a instalar-se na cidade.

Geografia

Montreal está localizada no sudoeste da província de Quebec. A cidade cobre a maior parte da Ilha de Montreal na confluência dos rios São Lourenço e Ottawa. O porto de Montreal fica a uma extremidade da via marítima de São Lourenço, a boca do rio que se estende dos Grandes Lagos até o Atlântico. Montreal é definida pela sua localização entre o rio São Lourenço ao sul e a Rivière des Prairies ao norte. A cidade tem o nome da característica geográfica mais proeminente da ilha, uma colina de três pontas chamada Monte Royal, que fica a 232 metros acima do nível do mar. Montreal está no centro da Grande Montreal e é limitada pela cidade de Laval ao norte; Longueuil, Saint-Lambert, Brossard e outros municípios ao sul; Repentigny leste e os municípios da Ilha Ocidental para o oeste. Os enclaves anglófonos de Westmount, Montreal West, Hampstead, Côte Saint-Luc, a cidade de Monte Royal e o enclave francófono de Montreal East estão todos rodeados pela cidade.

2,248 total views, 3 views today

Tags
Back to top button
Close
Close