Miocardite Viral: A abordagem da medicina tradicional chinesa - Revista Amar
Saúde Alternativa

Miocardite Viral: A abordagem da medicina tradicional chinesa

De acordo com a Medicina Alopática

A Miocardite viral é uma afeção inflamatória ou degenerativa do miocárdio, que pode ser causada por infeção viral, bacteriana, por perturbações metabólicas ou devido a substâncias tóxicas.

Nos casos menos graves pode ser assintomática, mas há sempre lesões localizadas e que são percetíveis apenas através de exames médicos. Nos casos mais graves, ocorrem edemas e necrose extensiva das células do músculo cardíaco, que podem causar arritmia, falência cardíaca e/ou morte súbita ou ainda desenvolver doença cardiológica crónica.
Os sintomas principais e que indicam urgência médica são a dor no peito, forte ou moderada, febre, falta de ar, batimentos cardíacos anormais e edemas nas pernas.
A miocardite apresenta maior incidência no verão e no outono. As pessoas mais afetadas pela patologia encontram-se na faixa etária dos 20 aos 30 anos.

A miocardite tem várias causas, estando todas ligadas a infeções virais, bacterianas, intoxicação (medicamentosa/drogas) e stress, agentes nocivos que provocam a diminuição da força do coração em bombear o sangue normalmente.

A infeções associadas a miocardite são:

  • Infeções virais – sendo o vírus mais comum o coxsackie virus B, mas pode também ter origem nos echo virus, os vírus da influenza, Epstein-Barr, rubéola, varicela, papeira e hepatite.
  • Infeções pelo vírus HIV – o músculo cardíaco pode ser afetado por este vírus devido a uma deficiência/fraqueza do sistema imunitário e ficar suscetível a outras infeções.
  • Infeções bacterianas – sendo do referir a Staphylococcuos áureos, os enterococos e o Corynebacterium diphttheriae que podem provocar miocardite viral, mas de forma indireta, no seguimento da endocardite.
    Doenças de chagas – infeção causada pela picada do mosquito Trypanosoma cruzi (protozoário).
  • Miocardite de Lyme – infeção causada por uma bactéria transmitida por carraças.
  • Doenças autoimunes – como o lúpus eritematoso, a sacoidose e tiretoxicose também podem provocar a miocardite viral.
  • Outros fatores – são o stress emocional intenso que pode levar a uma falência abrupta, substâncias tóxicas como o álcool, radiações e alguns medicamentos.

Diagnostico

O médico tem em consideração:

  • A existência de um historial de infeções virais, tais como infeções respiratórias ou ocorrência de diarreia, uma a três semanas antes do ataque;
  • A presença de sintomas, tais como, palpitações, respiração curta e opressão torácica, arritmia;
  • Historial de doença cardíaca.
  • Para complementar o diagnóstico deverão ser solicitados os seguintes exames médicos:
  1. ECG para avaliação da função cardíaca;
  2. Raio-X, o qual pode apresentar: sombra cardíaca normal, no caso de miocardite localizada; sombra cardíaca aumentada com decréscimo de pulsação, no caso de miocardite extensiva e congestão e edema pulmonar nos casos mais severos.
  3. Ecocardiograma e testes nucleares.

O Tratamento

Nos casos menos graves poderá passar por um período de repouso, abstinência do álcool, tabaco e redução da atividade física até regularização do ECG.
Nos casos mais graves, com insuficiência ou arritmia cardíaca, o tratamento passa por internamento hospitalar com medicação adequada a cada caso.

De acordo com a Medicina Chinesa

A Miocardite pertence à categoria das Doenças Epidémicas e de acordo com as manifestações clínicas divide-se nas seguintes categorias:

  • Humidade – Calor epidémico;
  • Contágio tóxico sazonal;
  • Síndrome do calor epidémico;
  • Palpitações;
  • Palpitações severas.

Os fatores patogénicos responsáveis por esta doença são o calor tóxico, a dieta imprópria, o stress, a tensão emocional e a insuficiência congénita.
A sua causa principal é a Deficiência de Qi (Energia) que não consegue parar a invasão dos fatores patogénicos externos ao pulmão, intestinos e coração. Deste modo, os órgãos são lesados resultando numa deficiência de Qi e Yin do Coração, bloqueio e estagnação na circulação sanguínea nos vasos, retenção de fluídos no interior e, o colapso do Yang cardíaco.

Diagnóstico Diferencial e Tratamento de Síndromes

A Diferenciação de síndromes segundo a MTC é efetuada a partir da identificação de excesso ou de Deficiência. O diagnóstico diferencial a partir da energética determina a estratégia terapêutica, os seus princípios e formas de tratamento.
Sindromes de Deficiência: Antes de recuperar o Yang, deve-se consolidar o Yin/Yang do rim:

  • Recuperar a função hidrogénese do rim;
  • Atuar na função termogénese do rim. Como o vazio global do Yang lesa igualmente a função do baço e do coração, há que reforçar e ajudar estes dois órgãos.
  • a) Ajudar o coração a cumprir a função de reger o sangue e os vasos, de modo a recuperar o seu Yang.
  • b) Ajudar o baço Yang a cumprir a sua função de metabolizar a humidade.
  • Acelerar a circulação sanguínea.

Os síndromes de deficiência incluem:

Colapso de Yang e deficiência de Qi:
a) Principais Manifestações: ataque agudo, respiração curta e palpitações tendo o paciente dificuldade de se deitar de costas, lábios arroxeados, irritabilidade, suor espontâneo, membros muito frios.
b) Tratamento: Restaurar o yang, restabelecer o Qi e impedir o colapso.
Deficiência de Qi e Yin:
a) Principais Manifestações: Palpitações, respiração curta, sensação de opressão torácica e suor espontâneos que se agravam com o esforço, insónia, sonolência, boca e língua secas, desconforto na garganta.
b) Tratamento: Restabelecer o Qi, nutrir o Yin e tranquilizar a mente.
Deficiência de Yin e Yang:
a) Principais Manifestações: Palpitações, respiração curta, tez pálida, membros frios, fezes soltas, debilidade na zona lombar.
b) Tratamento: Aquecer o Yang, restabelecer o Qi, nutrir o Yin e recuperar o pulso.

Sindromes de Excesso: Embora os casos de excesso requeiram na maioria das vezes internamento hospitalar, a MTC pode intervir no pós hospitalar. Após análise dos sinais e sintomas, o tratamento pode passar por eliminar o calor tóxico, remover a estase e promover a circulação sanguínea e eliminar os fluídos internos que perturbam o coração. Há necessidade de reorganizar a defesa relativamente à patogenía externa, atuando sobre a energia Wei (Energia Defensiva). Assim sendo, deve-se:
Consolidar a Energia Wei;
Fazer circular a energia através dos pontos de exteriorização;
Acrescentar pontos de trânsito.

Os síndromes de excesso são:

1. Calor Tóxico que perturba o coração:
a) Principais Manifestações: febre, dores generalizadas, descarga e congestão nasal, sensação de garganta seca, comichão na garganta, tosse com expetoração, dor abdominal, diarreia, desconforto nos músculos e membros, sensação de opressão torácica, respiração curta.
b) Tratamento: Eliminar o calor, remover as substâncias tóxicas e nutrir o Yin do coração.
2. Estagnação interior de Humidades – Mucosidades:
a) Principais Manifestações: Dor e opressão torácicas, respiração curta, palpitações, tonturas, inchaço abdominal, falta de apetite.
b) Tratamento: Eliminar mucosidades e humidades, aquecer e ativar o Yang cardíaco.
3. Bloqueio das coronárias por estase de sangue:
a) Principais Manifestações: Pré-cordialgia localizada por vezes com sensação de facada, palpitações, lábios púrpura, respiração curta.
b) Tratamento: Promover a circulação sanguínea para remover a estase, drenar os colaterais e acalmar a mente.

Pela sua saúde, procure um terapeuta credenciado e… sorria com saúde!

Helena Rodrigues

 4,016 total views,  69 views today

Redes Sociais - Comentários

Tags
Back to top button

Close
Close