A Mente e as Emoções
Saúde AlternativaSaúde & Bem-Estar

A Mente e as Emoções

“A saúde é caracterizada como um estado de completo bem-estar físico, mental e social, não apenas como ausência de doença” Who, 2014

 

O nosso corpo manifesta-se em uníssono na expressão física, emocional e social, sendo uma exteriorização natural do nosso equilíbrio e saúde. Assim, a prevenção, diagnóstico e tratamento do aspeto patológico destas vertentes é de extrema importância. Explorando as emoções em particular, quando levadas a extremos, tornam-se patológicas (Maciocia, 2009). É nessa fase que se manifesta a necessidade de compreender da forma mais exata o mecanismo que ocorre na mente. No diagnóstico da patologia mental e emocional em MTC devem ser considerados vários pontos centrais: a teoria mental e emocional, os fatores etiológicos e a sua aplicação no diagnóstico.

Revista Amar - Portugal - Medicina Tradicional Chinesa - A Mente e as Emoções
Créditos: Direitos Reservados

 

Teoria Mental e Emocional

A teoria mental e emocional está centrada no Espírito Shen. O conjunto dos aspetos mentais são: Mente (shen), Alma Etérea (Hun), Alma Corpórea (Po), Intelecto (Yi), Força de Vontade (Zhi). A mente tem um papel central na vida emocional e mental, sendo o Intelecto e a Força de Vontade muitas vezes considerados aspetos secundários. A Alma Etérea e a Alma Corpórea são considerados como aspetos independentes. A primeira confere movimento à mente e a segunda representa a parte física do ser humano. A mente (Shen) reside no Coração e tem um papel coordenador e integrante na vida mental. As suas funções revelam esta designação sendo responsável pelo pensamento, memória, consciência, insight (auto-reconhecimento de estímulos), perceção de vida emocional, cognição, sono, inteligência, sabedoria, ideias e por governar os cinco sentidos.

A ponta da língua vermelha, em qualquer alteração emocional, manifesta a afeção do Coração. A Mente tem um papel fundamental nas funções descritas, no entanto algumas são realizadas conjuntamente com outros aspetos mentais. A relação entre a Mente e Alma Etérea é considerada como central na patologia mental. Para descrever a sua relação, é necessário conhecer a natureza e características desta última. A Alma Etérea tem natureza Yang e é responsável pelo movimento. As características de exteriorização são manifestadas, tanto no aspeto mental individual como social. No aspeto individual prevalece a intuição, a criatividade, o sonho, o sono, o planeamento e a coragem e no aspeto social, o relacionamento com os outros. Estas caraterísticas permitem que a Alma Etérea confira movimento à mente e que, por outro lado, a mente proporcione quietude à Alma Etérea. Um excesso destes aspetos manifesta-se com comportamento maníaco ou com comportamento depressivo. Quando considerando a relação da Alma Etérea com a Alma Corpórea, esta representa a sua parte física. Isto porque ao contrário da etérea, esta está ligada ao corpo e é responsável pela vida individual. Associada ao Pulmão, a nível físico é responsável pela respiração e inúmeras funções fisiológicas. A nível mental, a Alma Corpórea está presente em todas estas funções, nomeadamente com os sentidos. O Intelecto e a Força de Vontade são previamente descritos como partes da Mente. Esta correspondência pode ser vista nas suas funções e nas da Mente. O Intelecto representa a memória e as ideias num contexto diário e de estudo, permitindo a concentração e a focalização num determinado assunto. A mente é responsável pela memória a nível dos acontecimentos passados, conjuntamente com a Força de Vontade.

A interligação entre o Shen, Zhi e Hun é notória no contexto do planeamento e realização de ideias, a coordenação do Shen, a força de vontade do Zhi, o planeamento do Hun. A concretização eficaz de objetivos depende do equilíbrio entre estes três aspetos mentais. As caraterísticas relativas aos aspetos mentais e físicos dos órgãos cruzam-se, tanto a nível fisiológico como a nível patológico. Um desequilíbrio mental pode induzir a um desequilíbrio físico, assim como o aspeto contrário pode manifestar-se – há uma ligação nos dois sentidos entre corpo e mente.

Fatores Etiológicos

Os fatores etiológicos podem ser divididos em fatores internos: emoções; externos: clima; e outros como a dieta, atividade sexual excessiva, excesso de trabalho, drogas.

Diagnóstico pelas Emoções

No diagnóstico é marcante o facto dos fatores etiológicos mais relevantes na patologia emocional serem precisamente os internos: as emoções. Estas representam uma parte importante da vida psíquica e emocional; são uma parte saudável e fundamental da energia dos órgãos. O seu papel patológico é relativo quando as emoções são extremamente fortes e/ou prolongadas, especialmente se não forem expressadas, mas sim reprimidas. Cada emoção possui uma determinada energia associada a um ou mais órgãos Yin correspondentes. A nível patológico, cada emoção afetará de forma mais acentuada os órgãos respetivos, sendo muitas das vezes notória a presença de sintomas físicos e emocionais associados ao mesmo órgão num paciente. O Coração, sendo responsável pela consciência e cognição, reconhece todas as emoções, sendo afetado por todas as alterações emocionais. Tem também relação com os outros fatores etiológicos associados, como a constituição, alimentação, momento em que são sentidas e da forma como são sentidas pelo indivíduo em si.

A título social, cada emoção terá mais impacto conforme a sociedade em que somos criados, visto vários aspetos serem salientados. Serve de exemplo a culpa, mais associada à sociedade ocidental, enquanto a vergonha é mais associada à cultura oriental.

Helena Rodrigues

Especialista de Oncologia em Medicina Chinesa. Saiba mais em HelenMed

Redes Sociais - Comentários

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo