A comida causa ansiedade durante o Natal?
Saúde & Bem-EstarSaúde Alternativa

A comida causa ansiedade durante o Natal?

Saiba como acabar com isso de vez

Revista Amar - Portugal - A comida causa ansiedade durante o Natal
Créditos: Direitos Reservados

 

A abundância do natal pode trazer ansiedade e stress. Para conseguir ter uma época festiva saudável, praticar ouvir o seu apetite e respeitar a sua fome e saciedade podem ajudar a aliviar a tensão e finalmente começar a encontrar a paz em relação à comida.

Como conseguir ser saudável durante o Natal?

Já sabemos que tentar fazer dieta durante o Natal não é boa ideia.
Fazer dieta antes do Natal muito provavelmente faz com que nos digamos que merecemos a comida natalícia, resultando em comermos mais do que realmente precisamos. Isto leva a desconforto físico, dores no estômago, inchaço e sentimentos de culpa, muita culpa!

Planear uma dieta para depois do Natal pode criar 2 cenários:

  • Ou se come demais propositalmente porque depois é que vai começar a dieta a sério
  • Ou comemos mas ficamos a debater cada garfada, porque sentimos culpa e sofremos por antecipação à futura dieta: quanto mais como, maior será a dieta.
  • De qualquer das formas, nenhuma traz verdadeira paz alimentar e emocional, essencial para uma verdadeira vida saudável.

Por isso, regras, restrição, dietas não nos ajudam a sair do ciclo. O caminho tem de ser outro. Aqui estão A dicas para normalizar a alimentação no Natal e focar no que realmente importa: a família.

azer dieta em janeiro está fora de questão
Como referi acima, a ideia que de é a última oportunidade para se comer antes da nova dieta pode levar a exageros no Natal.

A privação mental, ou seja, o diálogo interno de que vamos entrar em dieta, coloca imediatamente o corpo em stress e em maior alerta e preocupação perante a comida. Mesmo que estejamos cercados de comida e com fácil acesso a ela, a mentalidade de privação fomenta o desejo de comer como se não houvesse amanhã que faz com que o seu comportamento seja exagerado quando se permites comer, acabando por comer para lá da sua saciedade ao ponto de se sentir indisposta.

Reconecte-se com o seu corpo

O período festivo pode ser stressante e motivo de ansiedade. Estas emoções podem deturpar os sinais que o nosso corpo naturalmente manda. Tente trazer um pouco mais de atenção para os sinais biológicos de fome, saciedade e satisfação e, de um modo geral, tente reconectar-te com o seu corpo para compreender como se está a sentir.

Antes de comer, reserve alguns minutos para compreender como está verdadeiramente a sua fome. Sente muita, pouca, neutra? O que lhe apetece comer? O que tem bom aspeto em cima da mesa? Dê-se permissão para comer, tal como referi acima, tendo em atenção como o seu corpo se sente quando come. Está a saber tão bem como esperaria? Quer mais? Faça um check-in interno para perceber como está a sua saciedade.

É normal inicialmente compreender que já satisfeita e que não precisa de mais mas, querer continuar a comer.
Se isto acontecer, não se julgue. A privação mental do ‘eu vou-me dar permissão para comer mas, no fundo acredito que não o deveria fazer’ faz com que seja mais difícil respeitar os sinais do corpo. Da mesma forma que se for um alimento ao qual se privou durante muito tempo é normal nos primeiros tempos o querer comer para lá da sua saciedade.

Por isso, não se julgue nem pense que é perdido por 100, perdido por 1000. É preciso tempo e clareza nesta jornada de verdadeira liberdade alimentar.

Revista Amar - Portugal - A comida causa ansiedade durante o Natal 2
Revista Amar – Portugal – A comida causa ansiedade durante o Natal

 

Crie limites para assegurar o seu bem-estar

Estar perto de amigos e familiares durante celebrações significa não só expor-se à comida como às conversas e comentários sobre alimentação, dietas e imagem corporal. Aprender a lidar com esses comentários – desde sobre as suas escolhas alimentares, ‘forçarem’ comer mais comida ou falarem sobre o seu peso – vai ajudá-lo a travar a ansiedade nesse dia. Ao estabelecer esses limites para com quem o rodeia vai conseguir proteger-se de pensamentos negativos e da espiral destruidora que leva a exageros.

Compreendo que seja desconfortável expressar que certas observações não são bem-vindas ou que não concorda com certos comentários. Podes simplesmente mudar o assunto para algo como ‘acho que és fantástica exatamente como estás e adoraria que me contasses sobre (tópico que agrada ambos)’, mudando assim o foco da conversa.

Se se sentir mais confortável com a pessoa em questão pode mesmo referir ‘estou a tentar afastar-me de conversas sobre dietas\emagrecimento\peso, porque destruíram a minha relação com a comida e estou a tentar cuidar do meu corpo de forma gentil.’

Caso o seu músculo emocional ainda não estiver forte o suficiente para verbalizar estes seus limites, pode simplesmente retirar-se da conversa ou mesmo da divisão. Pode ir apanhar um arzinho fresco, ligar a alguém que sabe o que está a passar e partilhar ou simplesmente se afastar de algo que sabe que o vai agredir.
É possível conseguir acabar de vez com ansiedade alimentar, e restrições ou dietas apenas vão mascarar a raiz do problema. Essa liberdade consegue-se com uma alimentação intuitiva e uma nova relação para com a comida e para consigo mesmo.

Joanne Amaral

Coach de Saúde e Alimentação Intuitiva e Personal Trainer para mulheres

Saiba mais em fitjoanne.com

Redes Sociais - Comentários

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo